FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES

 

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES:

Fidelizar um cliente não é tarefa fácil. Afinal, os consumidores são constantemente bombardeados com ofertas, promoções e comodidades que chamam a atenção e os fazem buscar provedores de novos produtos e serviços, mesmo que estejam satisfeitos com aqueles que estão acostumados.

É normal que um cliente sinta a necessidade de ver o que os concorrentes do seu fornecedor estão oferecendo, seja de uma, padaria, academia de ginástica ou farmácia recém aberta, seja para adquirir coisas do dia a dia ou algo de fornecedores com os quais nos relacionamos com menos freqüência , por curiosidade ou por insatisfação. Não importa. O desejo sempre acaba aparecendo.

Portanto a resposta de como fidelizar um cliente, do ponto de vista da empresa, talvez não seja, necessariamente, impedir a experiência com a concorrência. O importante é assegurar que, mesmo que um cliente se aventure com outros produtos ou serviços, ele volte a se relacionar com aquele com quem já está acostumado.

Uma possível abordagem para conquistar a fidelização é fazer com que a experiência de compra seja a mais agradável possível, gerando valor para o cliente. Embora algumas decisões de compra sejam feitas com base apenas no preço, sabemos que a maioria dos clientes busca sair satisfeito com o que está comprando, o que nem sempre está associado ao produto em si, mas ao que vem agregado a ele, como a qualidade do atendimento prestado.

Promover a satisfação vai muito além do que oferecer o menor preço, pois pressupõe o melhor custo-benefício, bem como envolve questões como respeito, pro atividade, ética, compromisso e tantos outros valores. Atenção, cordialidade e um simples sorriso podem ser fatores decisivos para se fechar uma negociação. É o que se chama de “produto ou serviço ampliado”.

Conhecer as necessidades e expectativas dos clientes, com base em dados e fatos é fundamental para se trabalhar sua satisfação. Além disso, saber o que a concorrência oferece e tentar superá-la com a experiência de compra contribui para a oferta de diferenciais que levam a fidelização.

Esses são alguns dos requisitos da excelência na gestão, pois uma empresa pode fazer mais do eu entrar na guerra de preços se trabalharem na fidelização de seus clientes. Afinal um cliente satisfeito recomenda uma empresa a sua rede de relacionamento, enquanto o insatisfeito propaga uma imagem negativa.

 

 

consultoria@helianemoreira.com.br

Atendimento2

Como cuidar de seu cliente

Atendimento2

Qual a imagem que a área de atendimento de sua empresa cria na mente de sua clientela?

São muitos os ambientes pelos quais um cliente circula dentro de sua loja e são muitos os estímulos que ele recebe. Estímulos bons, mas também estímulos ruins, que podem criar um sentimento de repulsa e dificultar seus negócios.

Treinamentos são essenciais, porém geralmente se concentram na relação de venda ou no aprendizado de scripts formatados. As empresas começam a entender que só isso não é suficiente e investem em uma mudança de postura para sua equipe de atendimento. Ensinar regras essenciais de etiqueta e boas maneiras para sua equipe de atendimento faz parte de meu trabalho.

E não apenas isto, mas analisar e sugerir um design de interiores agradável, inclusive na sua área de atendimento, fazendo com que sua estratégia de marketing comece pelo seu atendimento.

Visual Merchandising

Vitrine em loja de móveis

O marketing sensorial e visual merchandising são ferramentas que ajudam o lojista a criar vínculos emocionais com o consumidor por meio dos cinco sentidos. Para isso, é fundamental pensar estrategicamente os mobiliários, a iluminação, o atendimento, a exposição dos produtos, entre outros.

Mas como o visual merchandising (VM) pode ser bom para o seu negócio e de que forma fazê-lo? Acompanhe este texto e saiba mais!

Visual merchandising: o que é e para que serve?

Como explicado acima, o VM é uma prática que consiste na ambientação de lojas. Ou seja: com ele, é possível harmonizar os produtos e o design de um estabelecimento de modo a fazer com que a experiência do cliente seja funcional e agradável.

Para isso, o visual merchandising leva em consideração não só o espaço propriamente dito, mas também a iluminação, cor das paredes, tipo de mobiliário, música e até mesmo fragrância da loja — afinal de contas, tudo isso auxilia no aumento das vendas.

Contudo, é importante informar que o projeto de visual merchandising deve ser feito por um profissional especializado no assunto. Saiba mais no tópico seguinte!

Quem é o profissional responsável pelo visual merchandising?

O visual merchandiser pode ser um designer de interiores, arquiteto ou até alguém cuja área inicial se relaciona com a moda, embora todos os tipos de comércio possam ser repaginados a partir de um projeto de VM.

Para dar início a um projeto, esse profissional, busca, primeiramente, por informações e elementos dentro da temática e contexto da marca. Desse modo, será capaz de criar uma mensagem clara e objetiva que transmita personalidade e identidade aos seus consumidores.

Assim, o visual merchandiser não atua apenas na decoração e aspectos físicos da loja. Ele pode decidir, por exemplo, qual será a disposição das peças expostas e suas combinações. Além disso, o profissional assume um papel essencial no treinamento dos colaboradores, garantindo que eles também transmitam o tom e a essência da marca. Afinal de contas, o pós-venda é tão importante quanto a atração do cliente!

Como aplicar o visual merchandising em minha loja?

Deve-se seguir uma lógica de fácil entendimento na exposição interna dos itens à venda: eles devem ser expostos de maneira que o consumidor tenha acesso fácil ao manuseio. Balcões separando os clientes dos produtos, por exemplo, formam verdadeiras barreiras para a conclusão da compra. A quantidade de produtos expostos não é sinal de boa venda, já que na maioria das vezes é melhor expor menos produtos de forma clara e com acessibilidade do que grande quantidade sem qualidade de exposição.

Além disso, há outros pontos que o visual merchandiser leva em consideração em seu projeto. Que tal saber um pouco mais sobre eles?

  • Design: trata-se do conceito da loja, responsável pela identificação da marca com o público;
  • Layout: aqui, trata-se sobre a distribuição do espaço, que também deve ser feita de acordo com o público-alvo;
  • Instalações: como escolher o mobiliário e os suportes de uma loja? Como fazer com que eles não sobressaiam ao produto? Essas são questões que o visual merchandiser levanta na hora de escolher como serão as instalações;
  • Comunicação visual: trata-se da sinalização do ambiente, que deve ser feita de modo que o consumidor consiga encontrar o que procura facilmente;
  • Fachada: É o que desperta a atenção do público, fazendo com que ele se sinta curioso para conhecer o local.
  • Iluminação: deve estar alinhada com os demais fatores. Afinal de contas, uma iluminação forte demais pode incomodar o cliente, enquanto uma colorida possa alterar o aspecto de uma mercadoria, por exemplo;
  • Vitrine: o cartão de visitas de uma loja. Deve transmitir, de forma sintetizada, todos os conceitos acima, convidando o consumidor a conhecer o restante do ponto de venda.

 

E então, gostou de saber mais sobre o visual merchandising? Que tal criar um projeto para sua loja? Entre em contato conosco — podemos ajudá-lo a encantar ainda mais o seu público!